UM BLOG SOBRE MODELOS DE NEGÓCIOS INOVADORES COM FOCO EM EMPRESAS E STARTUPS BRASILEIRAS   Siga-me também no Twitter: @ThiagoPaiva Contate-me pelo: http://about.me/topaiva

Blog Startup Biz Model

Não sei quantas pessoas ainda estão seguindo ou lendo o blog aqui no Tumblr, mas enquanto isso o meu novo blog no Wordpress está bombando de conteúdo!

Então para quem ainda não visitou o link segue abaixo:

Startup Biz Model

Espero que entrem e gostem!

Abraços a todos,

Thiago Paiva

Despedida do Tumblr

image

Depois de quase 5 meses de blog utilizando o Tumblr, chega o momento na vida de um bloggeiro que ele tem que fazer uma escolha:

Continuar brincando de blog no Tumblr ou mudar para o Wordpress!

Eu resolvi parar de brincar de blog (sim, já tinham me avisado antes para começar o blog no Wordpress). Devo admitir que gostava do Tumblr pela sua simplicidade, porém o grande motivo que me fez decidir fazer a migração foi o fato do meu blog não parecer nas pesquisas do Google e muito menos do Bing.

Tentei de todas as maneiras fazer o meu blog ser indexado pelos sistemas de busca, mas aparentemente o Tumblr não gosta que seus blogs sejam encontrados por outras pessoas, o que dificulta muito o crescimento da base de leitores.

Então passei o feriado fazendo a migração para o Wordpress, para isso utilizei a ferramenta Tumblr2wp (fácil de usar e dá conta do recado, recomendo). Claro que a formatação do blog eu tive que mudar toda, visto que não achei nenhum template no Wordpress parecido com o que uso, mas eu gostei do que estou usando e acho que vocês vão gostar.

Sem mais, eu me despeço do Tumblr com pesar mas sabendo que o futuro com o Wordpress me reserva boas oportunidades.

Abraços a todos os leitores e nos vemos do outro lado da blogosfera!

Startup Biz Model

image

Mentiras Sobre Empreendedorismo

startup, modelo de negocios, canvas

Não se iluda, os fundadores de startups ainda vão ter que trabalhar no operacional e apagando incêndios por um bom tempo até terem uma boa equipe e bem treinada. 

A vida de CEO, CTO, CFO e outros CXO de startups não é tão glamurosa quanto parece, às vezes eles vão ter que fazer tarefas bobas mas que precisam ser feitas devido ao tamanho reduzido da sua equipe.

Empreendedores precisam ser multi-task, pois precisam fazer de tudo na empresa e até, caso precise, pagar contas, comprar material para escritório, entre outras coisas.

Análise do Modelo de Negócios

modelo de negócios

                Likestore, startup, modelo de negocios

Um dos conceitos mais quentes de internet atualmente é o social-commerce (s-commerce). Devido ao fato das redes sociais fazerem cada vez mais parte das nossas vidas, o s-commerce se toronou uma evolução natural do e-commerce.

O s-commerce nada mais é do que um comércio eletrônico que usa as interações de mídias sociais dos clientes como forma de complementar o processo de compra e venda de produtos e serviços online.

Esse conceito pode ser tão simples como uma lista de desejo compartilhada ou avaliação de produtos pelos usuários, porém ele está atingindo outro nível de interação com o aumento das redes sociais.

No Brasil esse modelo está começando a surgir aos poucos, durante o Desafio Brasil 2011 eu vi a apresentação de duas startups que pretendiam utilizar esse conceito:  A Trendis e a ShopDeck. Porém essas startups ainda estavam com muitas hipóteses e pouca  ou nenhuma validação desse modelo no Brasil.

Outra startup  que vem trabalhando com esse modelo e tem tido sucesso é a LikeStore. Ela foi criada pelo Gabriel Borges e foi lançada oficialmente em 9 de agosto desse ano. 

Ao contrário da Trendis e da Shopdeck que queriam levar o conceito para as lojas virtuais, a LikeStore permite que pessoas e empresas criem lojas virtuais dentro do Facebook, o que faz com que o s-commerce seja ainda mais natural. O fato das lojas serem dentro do Facebook, permite uma maior integração entre os usuários e suas redes sociais com as lojas e seus produtos.

Apesar de ser uma plataforma dentro do Facebook, eles não pretendem se limitar uma rede social e querem expandir para outras como Google+ e Orkut.

O modelo de receitas dela é sobre as vendas feitas na loja, onde ela fica com 2% das receitas. Por não ter mensalidade ou taxa de adesão, eles conseguem ser um investimento com risco quase zero para os vendedores,  o que tem atraído diversas lojas. Atualmente são mais de 1500 lojas operando na LikeStore.

Devido a algumas peculiaredades do Facebook, foi necessário o desenvolvimento de um sistema de pagamento específico para atuar nessa rede social. É aí que entrou a parceria estratégica com o Moip,  sistema de pagamento digital que estava desenvolvendo uma solução para esse problema.

Além dos 2% que as empresas tem que pagar para a LikeStore, elas precisam pagar 5.9% para o Moip pela utilização do serviço de pagamento digital. Resumindo, a empresa tem um custo operacional total (LikeStore + Moip) de 7.9%. A LikeStore também faz a gestão do estoque das lojas, de forma que seja o mais fácil possível para a criação e manutenção de uma loja virtual.

Sua expectativa de transações é de 150 mil com um ticket médio de 120 reais no seu primeiro ano, o que daria 18 milhões de reais em vendas e uma receita de 360 mil reais no primeiro ano. 

Abaixo, como sempre, segue o modelo canvas da LikeStore:

Likestore

 

View more presentations from Thiago Paiva

Os riscos desse modelo são:

  • Não atrair lojas para sua plataforma
  • Os usuários não se interessarem por lojas dentro de redes sociais
  • As redes sociais decidirem cobrar ou proibir o uso das lojas dentro das suas plataformas

Com tudo isso, a LikeStore foi considerada uma das 10 empresas mais quentes do Brasil segundo a Forbes. Lista que eu discordo um pouco, mas não em relação a essa startup.

Para quem quiser ver as outras 9 startups escolhidas, segue o link:

http://www.forbes.com/sites/ricardogeromel/2011/10/20/top-10-startups-in-brazil/

Dados da empresa:

  • Fundador: Gabriel Borges 
  • Setor de atuação: Comércio eletrônico
  • Lançamento: Agosto de 2011
  • Número de lojas: Mais de 1500
  • Expectativa de faturamento em 2011: 360 mil reais

#FicaaDica: Enquanto alguns concorrentes queriam levar os benefícios do s-commerce para as lojas, a LikeStore inverteu a lógica e resolveu levar a loja até as redes sociais e com isso encurtaram o caminho das lojas até o ambiente social. Outro ponto interessante de sua estratégia foi de cobrar sobre as vendas da empresa, pois, apesar de ser um valor variável e mais arriscado, assim eles derrubaram a barreira de entrada de novos usuários ao sistema. Eles podem fazer isso pois seus custos por nova loja são muito baixos e garante que mais lojas entrem para a plataforma, benefício semelhante ao do modelo Freemium. 

Mentiras Sobre Empreendedorismo

image

Muitas vezes ter dinheiro demais atrapalha o foco das startups. Para startups iniciantes é muito importante validar suas hipóteses de mercado e de solução, mas caso você tenha muito dinheiro, você já vai querer fazer a solução mais completa e colocá-la no mercado sem saber se existe um mercado efetivo para ela, se ele soluciona um problema real e se as pessoas estão dispostas a pagar por ela. Ou seja, você irá gastar muito dinheiro desenvolvendo algo sem saber se pagaram por isso.

No livro The 4 Steps to Epiphany, Steve Blank fala do emblemático caso da Webvan. Esse caso aconteceu durante o auge da bolha da internet em 2000, ela levantou muitos milhões de dólares para fazer um sistema de entregas de supermercado online. Com esse dinheiro eles desenvolveram todo o sistema, contrataram os melhores funcionários e construíram diversos centros de distribuição pelo país. O problema disso tudo é que eles não tinham validado o tamanho do mercado e construíram uma estrutura empresarial e logística enorme para atender um mercado pequeno. Os investimentos que eles receberam cegaram eles quanto ao tamanho desse mercado e os fizeram crescer acima do próprio mercado. Resultado, tiveram uma das piores falências durante a bolha.

Por outro lado, a falta de dinheiro pode até ser um excelente incentivo para se criar soluções criativas e de baixo custo. A 37signals, empresa de desenvolvimento de produtos SaaS para pequenas empresa, é um excelente exemplo disso. Eles sempre criaram seus produtos com o mínimo de recursos possível e, por isso, seus produtos são bem “clean”, tendo apenas o essencial para solução do problema que eles se propuseram a solucionar.

Dinheiro é importante para uma startup, principalmente, para manter os sócios dedicados full-time nela. Para as outras atividades, se você tiver um budge limitado fará você focar no essencial do seu produto e em ganhar dinheiro com ele.

Likes
Following
Follow me